1. A PALAVRA DE DEUS:

Cremos e confessamos que a Bíblia é a Palavra de Deus inerrante e verbalmente inspirada. É a única regra para fé e prática. A Palavra de Deus é o padrão pelo qual o cristão ordena sua vida. II Pedro 1:21; II Tim. 3:16.

2. A DEIDADE DE CRISTO:

Cremos e confessamos que Jesus Cristo é Deus encarnado, Deus em carne. Ele foi concebido pelo Espírito Santo no ventre virgem de Maria. “A Palavra se fez carne e habitou entre nós.” (João 1:14) Cristo como Deidade pendia na cruz por nossos pecados. Se Cristo não é Deus, ainda estamos em nossos pecados e sem esperança. João 1: 1; Matt. 1:23.

3. HOMEM CAÍDO:

Acreditamos e confessamos que o homem é uma criatura caída. Criado à imagem e semelhança de Deus, o homem caiu em uma condição de morte espiritual. Esta morte passou sobre todos os homens. O homem é uma criatura desamparada, que somente se impõe continuamente à maldade. Ele precisa de salvação. Gênesis 6: 5; Rom. 5:12; Ef. 2: 3-5.

4. CÉU OU INFERNO:

Acreditamos e confessamos que o céu e o inferno são lugares reais. As pessoas que morrem sem Cristo viverão eternamente em um lago de fogo ardente, sendo atormentadas pelas chamas. As pessoas que morrem no Senhor viverão eternamente no céu com Cristo, experimentando bênçãos que ninguém pode proferir. Mat. 13:50; Mat. 3:12; Mat. 25:41; 14:11; João 14: 1-3; Mat. 5:12.

5. SALVAÇÃO:

Cremos e confessamos que todos que crerem em Cristo serão salvos. Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia. Ele é o sacrifício, o pagamento pelos pecados do homem caído. O homem deve responder com arrependimento (uma mudança de coração) em relação a Deus e com fé (uma atitude de crença no coração) em nosso Senhor Jesus Cristo. Acreditar é um ato presente e contínuo da vontade. I Cor. 15: 1-4; João 3:16; Romanos 10:13; Atos 20:21; 1 Pedro 1: 5.

6. A TRINDADE:

Cremos e confessamos que Deus é um Deus Triúno expresso em três Pessoas: Deus, o Pai, Deus, o Filho, e Deus, o Espírito Santo. II Cor. 13:14; Mat. 28:19; Mat. 3:16, 17.

7. SATANÁS:

Cremos e confessamos que Satanás é uma pessoa real, um ser angélico caído, que por rebelião perdeu sua posição no céu. Reconhecemos esse inimigo e seu reino das trevas; estamos em uma batalha espiritual que exige nossa posição contínua em Cristo, nosso poder. Eu Pet. 5: 8; Ef. 6: 10-18; II Cor. 10: 3-5; Ez. 28: 12-17; É um. 14: 12-17.

8. A SEGUNDA VINDA DE CRISTO:

Cremos e confessamos em um retorno físico de Jesus Cristo à terra. Ele virá da mesma maneira que Ele partiu. Devemos procurar, esperar e esperar a qualquer momento a vinda do Senhor. Essa esperança fará com que o povo de Deus se purifique. João 14: 1-3; Atos 1: 9-11; 1 João 3: 3.

9. O REINO DE DEUS:

Cremos e confessamos que o reino de Deus, ou Cristo, é um reino espiritual e contrasta com os reinos do mundo. 

  • Nos separa ainda mais do curso deste mundo em afeto, ocupação e jugo e afiliações organizacionais. Mat. 6: 19-21, 24; ROM. 12: 1, 2; Col. 3: 1-3. 2 Co 6:14-18.

10. DISCIPULADO:

Cremos e confessamos que o discipulado é uma característica clara de todos os verdadeiros cristãos. Um discípulo de boa vontade leva a cruz e nega a si mesmo, abandonando todas as coisas que impedem sua comunhão com Deus. Essa crucificação da carne é a operação de Deus pela fé, uma entrega a cada momento da vontade de Deus. Lucas 14:26, 27, 33; ROM. 6: 11-16; Gal. 2:20, 21; Col. 2: 10-12; Gal. 5:24.

11. EVANGELISMO:

Acreditamos e confessamos que a Grande Comissão dada por Cristo a Seus Discípulos (Mt 28:19, 20) foi uma comissão para todos os cristãos para ir e contar as boas novas de salvação a um mundo perdido e moribundo. Irmãos e irmãs são responsáveis ​​por compartilhar Cristo à medida que surgem oportunidades na vida diária. Salmos 126: 6; Marcos 16:15; Atos 5:42; Atos 8: 4.

12. A EXPERIÊNCIA CRISTÃ:

Acreditamos e confessamos que a altura da experiência cristã é alcançada, mantida e expressa em uma vida de devoção a Deus, que é uma constante pressão do coração no amor e na comunhão com Deus. A oração, um estudo da Palavra, meditações, jejuns e o canto do coração são expressões de devoção a Deus. Cremos então que este coração que é elevado a Deus produzirá gradual e consistentemente as ações sagradas ordenadas nas Escrituras. João 4:23, 24; I Cor. 3:18; Gal. 5:22, 23; ROM. 8: 4.

13. A CASA CRISTÃ:

Cremos e confessamos a importância do lar piedoso na promoção da pureza moral e fé. É um refúgio de amor e piedade mútuos, um abrigo contra a corrupção da sociedade. A casa deve ser ordenada de acordo com os ditames de Ef. 5 e Col. 3. Acreditamos que pais piedosos que vêem sua responsabilidade criarão filhos fiéis que não são acusados ​​de distúrbios ou desordeiros. Tito 1: 6; II Tim. 3:14, 15.

  • Os pais devem assumir a responsabilidade final pela direção do culto, pelas decisões e pela disciplina dos filhos. I Cor. 11: 3; Eu Tim. 3: 4; Ef 6: 4.
  • As esposas são submissas e subordinadas, demonstrando sua conversa casta (comportamento) de piedade. Ef 5:22; Eu Tim. 5:13, 14; 1 Pedro 3: 1-6.
  • As crianças devem estar sujeitas e obedientes aos pais com toda a gravidade. Ef 6: 1; Eu Tim. 3: 4, 5.

14. A IGREJA:

Cremos e confessamos que a igreja é o Corpo de Cristo, local e mundialmente. I Cor. 12:27; Ef 1:22, 23.

  • A igreja consiste nas pessoas de todas as nações que são redimidas pelo sangue de Cristo e que responderam ao chamado da salvação com a obediência da fé. João 3:16; Atos 10:34, 35; ROM. 10:13; Ap 5: 9; Atos 20:28.
  • Também reconhecemos uma grande apostasia nestes últimos dias. Nem todos os que dão o nome de Jesus são verdadeiros cristãos, mas apenas aqueles que manifestam verdadeiros frutos das escrituras. (Veja 1 João).
  • Estamos em oposição à teologia liberal que leva ao mundanismo e à teologia tradicional que leva ao formalismo e à morte.

15. ORDENANÇAS CRISTÃS:

Acreditamos e confessamos que as ordenanças foram instituídas pela autoridade divina com o propósito de expressar pensamentos e significados celestes, dados para atrair nossa atenção para figuras espirituais da verdade divina. Essas ordenanças são as seguintes:

  • Batismo. ROM. 6; Matt. 28:19; 1 Pedro 3:21; Col. 2:12.
  • Comunhão ( Santa Ceia ). I Cor. 11: 23-26.
  • Unção com óleo. Tiago 5:14, 15.

16. CASAMENTO:

Cremos e confessamos que o casamento é uma instituição ordenada por Deus. Foi separado, ou santificado, na criação. Foi estabelecido por Deus para a propagação da raça humana, para a pureza da família humana e para a criação de filhos piedosos. Gênesis 2:24; Heb. 13: 4. Deus reconhece todos os primeiros casamentos em que os votos foram feitos e o casamento consumado. Aos olhos de Deus, apenas a morte pode quebrar a aliança do casamento. Acreditamos ainda que Deus proíbe o divórcio ou o casamento com pessoas divorciadas com ex-companheiros ainda vivos. O casamento por ou com essas pessoas é a formação de um relacionamento adúltero. Admoestamos todos à meditação das escrituras sobre esse assunto. Mat. 19: 8, 9; Marcos 10:11, 12; ROM. 7: 2, 3; I Cor. 7:39

17. IRMANDADE:

Cremos e confessamos que a igreja é uma irmandade, submetendo-se uns aos outros no temor de Deus. Cada indivíduo é definido para a edificação do todo.

  • Os irmãos conversam em particular sobre inconsistências ou erros que eles podem observar um no outro. Matt. 18:15; Heb. 3:13; II Tim. 3:16; 1 Pedro 5: 5.
  • A disciplina da igreja deve ser exercida, e a Bíblia fornece diretrizes específicas para diferentes tipos de disciplina. A motivação para essa disciplina é amor, restauração e purificação da igreja. Matt. 18: 15-20; Tiago 5:19, 20; Gal. 6: 1.
  • Toda propriedade é mantida em mordomia como de Deus. Há um esforço consciente feito para discernir as necessidades dos outros e compartilhar ao ponto de uma igualdade de padrão de vida. A Bíblia adverte sobre o perigo de acumular riquezas e, portanto, exige distribuição de acordo com a capacidade. Matt. 5:42; Matt. 6: 19-21; 12:33; Atos 20:35; ROM. 15:26; I Cor. 16: 1-3; II Cor. 8: 11-15; Eu Tim. 6: 17-19; Heb. 13:16; 1 João 3:16, 17.
  • O amor cristão é um servo. Procura oportunidades para ajudar todos os homens e inspirar coragem e fé nos outros. Matt. 20: 26-28; Lucas 10: 25-37; Gal. 6:10.
  • Os irmãos sentem sua responsabilidade pelos famintos e nus. Matt. 25:35, 36; Lucas 3:11; 14:13, 14; Lucas 16: 19-25; Gal. 2:10.
  • O amor guarda seu discurso. Os irmãos não fofocam, caluniam ou mesmo falam mal uns dos outros ou de qualquer outra pessoa. Eu Tim. 5:13; Tito 1:10; Tito 2: 8; Tito 3: 2; Tiago 4:11; 1 Pedro 2: 1; 1 Pedro 3:10.
  • Os irmãos desejam honrar os outros, estimar os outros antes de si mesmos e viver em humilde submissão. Eles prontamente perdoam e se alegram com as bênçãos dos outros. ROM. 12:10; I Cor. 13: 4-7; Col. 3:12, 13; Phil. 2: 1-4.
  • Essa irmandade é mantida no nível humano em uma comunidade de amor. Atos 4:32. Aqui reside o apelo mais forte da verdade ao mundo. João 13:34, 35.

18. PRESENTES DO ESPÍRITO SANTO:

Confessamos os nove dons do Espírito Santo encontrados em 1 Coríntios. 12 para ser válido por meio da dispensação do Novo Testamento.

19. DIVINAÇÃO E BRUXA RENUNCIADA:

Os irmãos são livres de todos os tipos de bruxaria, feitiçaria, adivinhação e outras práticas ocultistas e da Nova Era. Essas práticas serão renunciadas em nome de Jesus para manter a pureza da igreja. Efésios 5: 11,12; Gálatas 5: 19-21.